Curso de extensão
Transtorno do Espectro do Autismo (TEA): o que muda após CID-11 e pandemia?

O curso tem como objetivo instrumentalizar profissionais, equipe escolar e pais de crianças com suspeita ou diagnóstico confirmado de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) sobre características clínicas, comorbidades, habilidades cognitivas, intelectuais e aprendizagem, cognição social, e intervenções, além de conscientizá-los sobre neurobiologia e marcos do desenvolvimento infantil.




Dr. Thiago Rocha
Coordenador
×

Justificativa

O transtorno do espectro do autismo (TEA) está relacionado ao desenvolvimento infantil e é caracterizado por deficiências persistentes na interação social e pela presença de padrões repetitivos e restritos de comportamentos, interesses ou atividades (APA, 2014). A prevalência do TEA vem aumentando, com ocorrência de 1 caso a cada 54 crianças (CDC, 2020). Por seu caráter crônico, de alta morbidade, e pela ausência de intervenções curativas, os impactos para o indivíduo, seus familiares e a sociedade como um todo são elevados, com custos estimados de 1,4 a 2,4 milhões de dólares por indivíduo (Buescher, Cidav, Knapp, Mandell, 2014). Apesar de haver evidência de que esse transtorno pode ser identificado aos dois anos de idade (Johnson et al., 2007) e as diretrizes internacionais e brasileiras recomendarem rastreamento para TEA aos 18 e 24 meses (AAP, 2020; Brasil, 2014), esses quadros são diagnosticados apenas muito mais tarde (Daniels & Mandell, 2014), geralmente quando a criança inicia sua vida acadêmica (Ribeiro, Paula, Bordini, Mari, Caetano, 2017), o que impacta gravemente a possibilidade de intervenção e o prognóstico. Intervenções precoces geram melhora funcional do paciente, com redução da morbidade e dos custos associados ao TEA (Jacobson, Mulick & Green, 1998). Recentemente, houve a publicação do novo Código Internacional de Doenças, que se encontra em sua 11ª versão (CID 11), e nele houve mudanças significativas no sistema de avaliação e diagnóstico do TEA. Com base na nova classificação, há uma maior necessidade de uma avaliação multiprofissional para a adequada aferição desse quadro clínico. Por fim, o cenário gerado pela pandemia da COVID-19 influenciou negativamente o desenvolvimento de muitas crianças, quando essas não puderam receber estímulos sociais e interacionais adequados em momentos críticos em seu desenvolvimento. Aliado a isso, o aumento expressivo do acesso a telas em idades muito precoces das crianças influenciou uma série de atrasos de desenvolvimento da comunicação, elevando a busca de avaliação médica por suspeita de TEA.

Objetivo

Instrumentalizar profissionais, equipe escolar e pais de crianças com suspeita ou diagnóstico confirmado de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) sobre características clínicas, comorbidades, habilidades cognitivas, intelectuais e aprendizagem, cognição social, e intervenções, além de conscientizá-los sobre neurobiologia e marcos do desenvolvimento infantil.

Público-alvo

Profissionais da saúde, da educação e pais.

Temáticas e diferenciais

Conteúdo desenvolvimento e ministrado pelo Centro Especializado em Neurodesenvolvimento Infantil (CENI), do Hospital Moinhos de Vento, que conta com equipe multiprofissional com vasta experiência clínica na avaliação e tratamento do TEA.

Estrutura do curso

10 horas em videoaulas e 5h de materiais complementares (links comentados de vídeos, artigos científicos, checklists, materiais psicoeducativos).
Carga horária total: 15h


Características

• Curso online assíncrono
• Certificação de conclusão
• Previsão de início: setembro de 2022

conheça o corpo docente   consulte o conteúdo programático  faça sua inscrição